2020

Este foi um ano extremamente difícil pra mim e confesso que estou com muita  preguiça das falas do tipo “as coisas boas que aprendi com a pandemia.”

Tenho como certo que tudo na vida é aprendizado, mas não gosto das versões glamourizadas, até porque a maioria, não todas, claro, mas a maioria é uma grande farsa. Prefiro mesmo a vida na real.  

Portanto, pra mim, foi um ano muito dolorido, com todas as minhas dificuldades e limitações. Talvez tenham sido elas as grandes verdades que encontrei habitando no meu interior. Muita coisa que eu achei que já tivesse superado, descobri que estava era bem escondidinha no meu ser.  

Mas isso não deixa de ser bonito também. Dizia Santo Agostinho: “Não procure fora, mas dentro de você. É no interior do homem que habita a verdade.” Neste ano foi tão difícil estar fora, que, de um jeito ou de outro, acabamos obrigados a olhar pra dentro. E essa não é uma tarefa fácil. Longe das distrações tivemos que encarar tantas dúvidas, tantos medos.

Vivi um ano de muitas dúvidas e muitos medos. Mas em meio a esse turbilhão de sentimentos me lembrei de outra fala de Santo Agostinho: “conhece-te, aceita-te, supera-te.”

No caminho da nossa evolução, precisamos passar inevitavelmente por essas três etapas. Para nos superarmos de verdade, que é a última, precisamos, primeiro, nos conhecer de verdade. 

Digamos, então, que eu esteja na segunda etapa em relação a muitas coisas que conheci de mim mesma nestes longos meses… Estou no processo de me aceitar. Porque essa também não é uma tarefa fácil. Mas, como afirmou Santo Agostinho, é onde está a verdade, é o que nos torna verdadeiros.  

Acredito realmente que as nossas fraquezas são a grande vacina da nossa alma. Elas é que possibilitam ao nosso ser desenvolver a capacidade de enfrentamento da vida.

Olhar para nossas fraquezas, aceitá-las com amor e superá-las… Essa é a nossa maior força! Não é lindo isso? Por que, então, vamos ter medo das nossas dificuldades se nelas estão guardadas as soluções verdadeiras para os nossos problemas?

Que neste novo ano que se aproxima tenhamos força para encarar de verdade quem somos e, assim, encontrarmos também as grandes maravilhas que habitam em nós. 

Deixe um comentário