O poder da linguagem – Parte 2

Bem, como eu falei no vídeo anterior (se você não viu, dá uma olhadinha lá primeiro), a comunicação tem um poder imenso e pode ter um efeito tanto positivo quanto extremamente negativo em nossas vidas, dependendo de como a utilizamos.

Pra te ajudar no melhor uso, no uso mais adequado da linguagem, eu resolvi falar um pouco sobre o impacto, o efeito que algumas palavras têm na gente e em quem está nos ouvindo.

E eu escolhi começar com a palavra “não” porque eu acho uma das mais curiosas e interessantes. Presta atenção no que eu vou te falar agora e procure se lembrar disso pra sempre: o nosso cérebro não processa a palavra “não”. Seu eu disser pra você: não pense em uma girafa com manchas coloridas, o que acontece? No que você pensou? Vai confessa… você pensou imediatamente no que eu falei pra você não pensar, ou seja, em uma girafa com manchas coloridas.

O que eu quero dizer com isso? Quando a gente diz, por exemplo: “não fique indeciso”, “não posso perder essa chance”, “não me entenda mal”, “não posso fazer isso”, não quero que você vá agora”…, o que fica marcado como registro no nosso cérebro é exatamente o oposto do que a gente deseja.

Portanto, a partir de agora, quando você quiser realmente mandar uma mensagem, reforçar uma ideia pra você mesmo ou pra alguém, fale utilizando afirmações. Usando os mesmos exemplos que eu dei antes, você pode falar: “tome uma decisão”, “eu vou aproveitar essa chance”, “entenda o que eu quero dizer”, “eu tenho que fazer aquilo”, “fique mais um pouco”. Assim, o seu cérebro não vai registrar de um jeito, ter que interpretar de outro… Isso é muito mais claro e, com certeza, vai tornar a sua comunicação muito mais eficiente.

No próximo vídeo a palavra será “esperança”… Eu te espero.

Deixe um comentário